quarta-feira, 29 de junho de 2016

Madame Curie (1943)



Drama biográfico norte-americano dirigido por Mervyn LeRoy com Greer Garson no papel de Marie Curie. O filme conta a estória do casal de cientistas Pierre (Walter Pidgeon) e Marie Curie tendo como base a mais famosa biografia da cientista escrita por sua filha Ève Curie. Ève escreveu o roteiro do filme junto com o escritor Aldous Huxley autor de  “Admirável Mundo Novo” de 1932.

O filme tem foco no romance entre Pierre e Marie mas retrata muito bem o árduo e perseverante trabalho científico do casal.


Marie uma jovem polonesa de 24 anos que vai estudar Física na Universidade de Paris, consegue um espaço no laboratório do já consagrado Dr Pierre Curie para desenvolver seu trabalho de pesquisa. O convívio entre os dois no laboratório levou ao romance e ao casamento. Em 1896 a então Madame Curie toma conhecimento dos estudos de Henry Becquerel a respeito de um fenômeno físico que ela viria nomear de radioatividade com o apoio de Pierre e a orientação de Becquerel Marie decide dedicar-se a este tema em seus estudos de doutorado.

Os estudos do mineral Pechblenda levam-nos a isolar os sais de Urânio e Tório que emitiam radiação em uma proporção menor do que aquela da Pechblenda portanto haveria outros materiais neste mineral que também emitiam radiação e em um quantidade muito maior do que a emitida pelo Urânio e o Tório. Em um trabalho exaustivo com muitas toneladas de Pechblenda e em um laboratório improvisado os Curie's conseguiram isolar uma pequena porção de Rádio provando a hipótese original de Marie.


Em 1903 Marie defende o Doutorado e recebe, juntamente com Pierre e Becquerel o prêmio Nobel de Física. Marie é a primeira mulher a ser premiada com o Nobel. Em 1906 em um acidente com uma carroça Pierre Curie falece e Marie Curie assume sua cadeira de Física na Universidade de Paris, sendo a primeira mulher a assumir tal cargo.
Apesar de alguns detalhes como a supressão completa da família de Marie, o filme apresenta um retrato muito fiel da ciência da época e a cenografia e caracterização dos personagens é extremamente cuidadosa.  Marie Curie é mostrada como uma  pessoa simples, pouco vaidosa e extremamente dedicada ao trabalho. Pierre é apresentado como um homem tímido e distraído que se dedica com afinco às pesquisas científicas.

Por suas pesquisas Marie Curie volta a ser laureada com o Prêmio Nobel desta vez em Química, em 1913. Marie Curie falece em 1934 devido a uma leucemia decorrente da exposição às  radiações. Seus pertences como cadernos e livros bem como utensílios de laboratório continuam isolados em contêineres de chumbo devido à contaminação radioativa. Em 1935 sua filha mais velha Irene, desenvolvendo suas pesquisas também na Universidade de Paris, recebe o prêmio Nobel de Física juntamente com Joliot seu marido.

Referências:
OLIVEIRA, Bernardo Jefferson (Org.) História da Ciência no Cinema 2; Belo Horizonte, MG: Argumentum- Scientia/UFMG, 2007.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Madame_Curie_(filme)
http://brasilescola.uol.com.br/quimica/maria-curie-descoberta-radioatividade.htm.
http://saladeexibicao.blogspot.com.br/2010/12/madame-curie.html
http://www.70anosdecinema.pro.br/1205-MADAME_CURIE_(1943)
http://aspiracoesquimicas.net/2012/01/madame-curie-filme.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As sessões do Ciência Cineclube são abertas ao público. Para os estudantes da PUC Minas é possível fazer a inscrição na atividade pelo Sistema de Gestão Acadêmica SGA e receber certificado de participação.





Fale conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *